Publicado por: ministriodeusfiel | 19/06/2017

Adorando ao Rei – “O Santo dos Santos”

Ao explorar a Arca da Aliança e o Santo dos Santos, vamos descobrir como podemos adorar e viver de uma maneira que reflita e entroniza o poder, o mistério e a pessoa do nosso Deus maravilhoso.

INTRODUÇÃO

Há uma diferença entre a onipresença de Deus e a sua presença manifesta. Salmos 139:7 e 8.

Essa é a onipresença de Deus. Ele pode estar em toda parte ao mesmo tempo, e não há nenhum lugar que possamos ir que Ele não possa nos encontrar. Ele está mesmo disposto a ir a lugares que Ele detesta só para estar conosco.

Mas a presença manifesta de Deus é diferente. Glória significa literalmente “o peso do esplendor de Deus”. I Reis 8:10 e 11.

Quando Deus descansa o seu peso sobre nós é sempre reconfortante, inspirador, íntimo e poderoso.

Cada vez que um sacerdócio e um lugar de reunião são consagrados na Bíblia, a glória de Deus cai com fogo. Precisamos preparar um lugar para a glória de Deus.

A arca da Aliança representa a Glória de Deus na terra, o trono de Deus entre o Seu povo. E em todo lugar que a Arca ia, a Glória de Deus ia. Adoração define uma arca dentro do Santo dos Santos da humanidade. Define o trono de Deus em nossos corações.

O santo dos Santos era iluminado apenas com a glória de Deus, que os sacerdotes conseguiam dificilmente ver.

ARCA DA ALIANÇA

É uma caixa retangular de madeira de acácia e coberta de ouro. A arca tinha argolas aos lados, através dos quais os sacerdotes encaixavam varais para carrega-la.

Há três razoes para carregar dessa forma a arca da aliança.

  1. A presença de Deus é apenas para ser carregada nos ombros dos sacerdotes.
  2. Temo um Deus viajante. Ele se move e Ele espera que seus sacerdotes O siga.
  3. Ninguém é autorizado a colocar as suas mãos na Arca.

Deus não mudou. É por isso que Ele reside em nós. Nós somos casas móveis de Deus. Que esse seja o desejo do seu coração: ser um lar para o Rei, aonde Ele é bem-vindo, honrado e adorado. Salmo 132:8.

Somente os sacerdotes podiam tocar e transportar a arca. Dentro da arca havia três coisas:

A VARA de Arão – representa os primeiros frutos de vida dentre os mortos, porque Jesus floresceu a partir do túmulo. Ele floresceu, brotou e poderosamente ressuscitou para a glória de Deus.

O MANÁ – representa a provisão de Deus através de Cristo, o pão da vida, que estava previsto para a salvação do mundo.

OS DEZ MANDAMENTOS – representam o caráter e as exigências da santidade de Deus. Eles nunca deixam de ser parte de quem Ele é.

Justiça, santidade e misericórdia são todos parte de quem É jesus.

Em cima da arca estava o propiciatório. Era uma tampa de ouro com uma coroa em torno da borda, representando a realeza de Cristo.

O termo “Propiciatório” vem de uma palavra hebraica que significa “cobrir, aplacar, apaziguar, limpar, cancelar ou fazer expiação.”

Uma vez por ano, no dia da expiação (Levítico 16), o sumo sacerdote ia encher o Santo dos Santos com fumaça do Altar de Incenso, fazer sacrifícios para si mesmo, para a nação, e o sacerdócio, e aspergir o sangue do sacrifício sobre o propiciatório da Arca da Aliança, para que os pecados da congregação fossem “cobertos” por mais um ano.

O VÉU

O véu serviu como uma porta divisória entre o Santo Lugar e o Santo dos Santos. Êxodo 26:31 e 33.

Havia uma razão para o tal véu. O mundo precisava saber que Deus queria estar com o Seu povo, mas até que o Salvador chegasse, haveria sempre uma barreira entre Deus e Seus filhos, até que Jesus removeu isto e fez um caminho para nós entrarmos na sala do trono do Pai.

Quando Jesus morreu, a Terra respondeu. O Sol ficou escuro e um terremoto sacudiu o chão. O véu que separou a humanidade do Santo dos Santos foi rasgado em dois. Mateus 27:51.

O véu rasgado significa ACESSO CONCEDIDO. A barreira do pecado que estava vindo entre nós foi arrancada e hoje podemos ir ao Pai. Jesus rasgou o véu da separação.

Hebreus 10:19 e 22.

Jesus é o verdadeiro sumo sacerdote do céu, e somente ele poderia ter removido esse véu de separação. Jesus morreu, Ele quebrou a porta do inferno, tomou a chave da morte, a sepultura, e a autoridade da terra do diabo pisando em sua cabeça.

Ele se sentou em Seu trono e aceitou a promoção de Seu Pai para Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Todo o tempo Jesus estava adorando! Porque Ele fez tudo para a glória do Pai e em obediência à Sua vontade.

Cada momento e cada movimento de Jesus era adoração.

Ele simplesmente não para! Mesmo quando O adoramos, Ele está direcionando a adoração ao Seu Pai.

Ele adora, serve e ministra para sempre, porque é isso que Ele é. Quando eu me torno um sacerdote e adorador, me torno um verdadeiro filho de meu Pai e um verdadeiro irmão do meu salvador.

O Santo dos Santos é a sala do trono de Deus. E a arca da Aliança é o Seu trono. Salmos 22:3.

Se queremos que a glória de Deus volte para nossos santuários, nossas casas, e nossa vida, temos que fazer um trono de honra e esplendor de peso do nosso Deus maravilhoso.
Apocalipse 1:6

Para Refletir:

  • Você tem manifestado a glória de Deus através da sua vida?
  • Você tem feito do seu coração um trono para o Rei descansar a sua glória?

Palavra ministrada pelo Pr. Rodrigo Winter em 18/06/2017

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: