Publicado por: ministriodeusfiel | 05/06/2017

Adorando ao rei – “Entrando”

Lembre-se, parte de seu trabalho como um sacerdote é a criação de locais de encontro entre Deus e o homem. Isso que é este tabernáculo. É a revelação de Deus do processo que nos leva mais em Sua presença.

O tabernáculo é uma ordem de serviço para a adoração celestial. Ele está acontecendo exatamente agora no céu.

OS PORTÕES

Falando de adoração, o que é o portão e como passo por ele?
João 10:9

Se Jesus é a porta, só podemos entrar na presença de Deus por meio dele. Se nós, como sacerdotes temos o papel de preparar um lugar de encontro para que pessoas possam encontrar Deus, nós precisamos leva-las até o portão que é JESUS. João 14:6.

Não há absolutamente nenhuma maneira de chegar a Deus sem passar por Jesus. Deus, em seu grande amor nos mostrou exatamente como chegar a Ele, como ter acesso a Ele. Só existe uma porta de acesso.

Há uma senha para entrar, uma atitude de cada um de nós de acesso. Essa atitude é GRATIDÃO. Salmo 100:4.

Agradecer é o reconhecimento de que Ele está no controle das nossas vidas e que nós confiamos N’ele. O evangelho inspira gratidão.

É ação de graças e louvor que posiciona os nossos corações para chegarmos mais perto de Deus.

Para conduzir as pessoas até o átrio, basta leva-las a Jesus testemunhando das coisas que Ele tem feito (especialmente a cruz), agradecendo e louvando quem Ele é e o que Ele tem feito.

Jesus ensinou como devemos entrar e chegar mais perto de Deus.
Salmo 65:4; Salmo 92:13; Salmo 96:8.

O ALTAR

O altar era um lugar de sacrifício! E a adoração tem que ter um altar.

O Altar era construído de madeira de acácia. Não era qualquer madeira. A madeira de acácia não apodrece facilmente e simboliza a pureza da alma ou a humanidade incorruptível, ou seja, que não se deteriora, inalterável. Sobrepondo a madeira de acácia vinha o bronze como símbolo de julgamento.

Da mesma forma, Jesus, puro, incorruptível, tomou nosso pecado. Sua vida perfeita carregou o juízo de Deus por nós.

A cruz é o altar de Deus. E sobre ela, o Seu filho sem pecado foi oferecido como um sacrifício, para levar julgamento pelos pecados da humanidade. Seu sangue foi derramado aos pés da cruz e é através do seu sangue que temos o perdão.

O altar de sacrifício é o lugar de morte. Mateus 16:24.

Adoração começa com a morte de Cristo na cruz, fora isso, NÃO HÁ ACESSO para se ministrar a Deus! Adoração sem cruz não é adoração.

É no altar de bronze que nós restringimos nossas emoções e corpo para submete-los a Deus e oferecer nossas vidas como sacrifícios de louvor e ação de graças. Romanos 12:1.

A nossa resposta ao Seu sacrifício é a de apresentarmos o nosso próprio sacrifício. Jesus nos ensinou a “apresentar nossos próprios corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus”.

Adoração que não se implica em submissão não é Adoração.

Adoração é a submissão total ao Senhoria de Cristo. Adorar em verdade é adorar através de Jesus e perceber que o Filho é a única maneira de realmente acessar o Pai. Se eu não estou adorando submetendo-se a Jesus, não estou a adorar o Pai.

A PIA

II Coríntios 3:17 e 18.
Nela, os sacerdotes podiam lavar as mãos e os pés antes de entrarem no Lugar Santo, para executar, o ministério diante do Senhor ou antes de irem servir no altar.

Os sacerdotes não ministravam nada no tabernáculo sem antes se lavarem na Pia. A pia representa o ministério da Palavra.

É necessário a purificação diária pela palavra de Deus.

Ela nos lava, nos purifica e nos limpa. Quantas mais cheio da palavra, mas parecido com Jesus. Quanto mais água, mais limpo. Quanto mais água, menos impureza. Precisamos nos encher diariamente da palavra de Deus.

A pia é o resultado de uma vida submetida ao processo de Deus, uma vida de santidade que deve ser constante em nossa vida.

Hebreus 12:14. Não podemos chegar mais perto de Deus sem submeter-nos ao processo de santificação. Isto é adoração.

A palavra de Deus nunca deixa você no mesmo lugar. A mesma palavra que nos traz a revelação, também nos lava, para que possamos parecer mais com Jesus.

Quanto mais perto eu chegar a Deus, mais eu o vejo. E quanto mais eu vejo, mais me torno como Ele.

É a lavagem com a Palavra que renova as nossas mentes, nos transforma em semelhança de Cristo, e nos permite conhecer a vontade de Deus.

CONCLUSÃO

Os portões de louvor permitem-nos lembrar o que Ele tem feito por nós e ir a Jesus com gratidão e louvor. O louvor prepara os nossos corações e nossas atitudes para vir ao Altar do Sacrifício. É lá que nós reconhecemos o sacrifício de Jesus e submetemo-nos a Cristo como adoração viva. A submissão prepara os nossos corações e mentes para atender e receber a palavra a Deus.

Para refletir:

  • Como sacerdote, você tem conseguido conduzir as pessoas até o portão testemunhando o que Ele tem feito?
  • Você tem se submetido a Jesus oferecendo a sua vida como sacrifício de louvor e ação de graças?
  • Você entende que cada vez mais cheio da palavra, mas você se torna parecido com Jesus?

Palavra ministrada pelo Pr. Rodrigo Winter em 04/06/2017.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: