Publicado por: ministriodeusfiel | 26/04/2017

Não se esqueça de divertir-se enquanto cresce

Filipenses 4:10-19

INTRODUÇÃO

Nossa maior batalha na vida não é travada com a idade, mas com a maturidade. Não há escolhe em relação a envelhecer. Nosso desafio é a escolha entre crescer ou não. Eu e você estamos envelhecendo. Isso é automático. Contudo, não significa necessariamente que estamos crescendo.

Deus é por nós. O objetivo Dele é que caminhemos em direção à maturidade, a despeito de nossas falhas, de nossos erros e dificuldades do passado – Efésios 4:14, 15. Anime-se! Há grande esperança. Você não será o primeiro que Deus ajudou a passar da puberdade para a maturidade.

  1. O QUE É SER EXATAMENTE SER MADURO?

Tornar-se maduro é um processo de caminhar em direção à vida adulta emocional e espiritual de forma consistente, adotando um estilo de vida em que somos totalmente responsáveis por nossas próprias decisões, motivações, ações e consequências.

2. COMO A MATURIDADE É EXPRESSA?

As marcas da nossa maturidade estão aparecendo:

– Quando nossa preocupação com os outros prevalece sobre nossa preocupação com nós mesmos;
– Quando detectamos a presença do mal ou do perigo antes de ele se tornar evidente;
– Quando temos sabedoria, bem como conhecimento;
– Quando temos ideais sublimes, mas também a disciplina de lavá-los a cabo;
– Quando nossa consciência das necessidades acompanha nossa compaixão e nosso envolvimento;
– Quando temos disposição para mudar, uma vez convencidos de que a correção foi devida;
– Quando temos a capacidade de crescer espiritualmente por meio de um contato independente com a Palavra de Deus.

Quando pensamos em crescer, são tais atitudes que temos em mente. Uma vez atingido o alvo, quem não teria motivo para regozijar-se? Mas, o fato é que, se mantivermos a atitude correta, seremos capazes de regozijar-nos durante o processo até lá.

3. A MATURIDADE DE PAULO

3.1 Ele é elogiador – v.10

Foi uma carta de agradecimento, como se Paulo dissesse: “Mesmo quando não tive notícias, vocês estavam preocupados comigo”.

Quando dizemos “obrigado” a alguém que conclui uma tarefa, estamos expressando nosso agradecimento. No entanto, quando reconhecemos e expressamos nossa gratidão pelo que os outros são, estamos elogiando-os pessoalmente. Uma marca de maturidade é a capacidade de reconhecer, não apenas estimar.

3.2 Ele é satisfeito – v.11

Por mais valioso que o reconhecimento seja, a maturidade nunca é tão evidente como quando alguém demonstra contentamento.

Você pode pensar: “Quem me dera ter esse ‘dom do contentamento’”. Isso não é um dom. Paulo admite que desenvolveu a capacidade de aceitar e adaptar-se – aprendi a contentar-me. O termo grego traduzido como contentar-se significa estar em paz na suficiência de Cristo.

O apóstolo estava convencido da presença de Cristo em seu cotidiano derramando Seu poder sobre ele. Quando cremos nisso, qualquer coisa é suportável.

3.3 Ele é flexível – v. 12

Homens e mulheres maduros podem lidar com ambas as situações (ter ou não ter) sem que qualquer delas interfira em seu equilíbrio espiritual e emocional.

3.4 Ele é confiante – v. 13

Somente o Cristo que habita no cristão e concede a ele poder é capaz de dar tamanha confiança a alguém. É como se Ele nos desse uma sensação vitoriosa de invencibilidade.

4. A MATURIDADE DOS FILIPENSES

4.1 Compaixão pessoal – v. 14, 15

Os cristãos em Filipos nunca contradiziam o apóstolo, não o julgavam. Eles o apoiavam. Sentiam a dor do apóstolo, oravam por ele e enviavam amigos para o consolarem. Que igreja! Não admira que Paulo sentisse tanto carinho por eles.

4.2 Generosidade financeira – v. 16, 17

Quando as pessoas abrem mão de seu tesouro para a causa de Cristo de forma graciosa e generosa, é um sinal de que estão crescendo.

4.3 Comprometimento sacrificial – v. 18

Graças ao comprometimento sacrificial dos filipenses, as necessidades do apóstolo foram satisfeitas. Quando isso é feito, Deus tem muito prazer e recebe como cheiro de suavidade.

Então Deus leva Paulo a escrever uma esplêndida promessa aos seus amigos, que vale pra todos os que fizerem tais sacrifícios – v. 19

CONCLUSÃO

  1. Olhe para dentro, e libere – Quando sondar e encontrar algo a que está agarrando-se com força, deixe-o ir deliberadamente.
  2. Olhe ao redor, e reaja – Apesar de as outras igrejas não terem seguido seu exemplo, os cristãos de Filipos viram a necessidade e reagiram. Existe alguma necessidade que você pode ajudar a suprir?
  3. Olhe para cima, e regozije-se – Você é beneficiário das riquezas do Senhor; desfrute delas! Então, alegre-se com o prazer de envolver-se com os outros. O riso está, definitivamente, ligado ao envolvimento com pessoas. Fique envolvido! Você nunca se arrependerá.

Para refletir:

  • Você deseja crescer em maturidade? Você crê que pode conseguir com a ajuda de Cristo?
  • Você já consegue ver algumas características da maturidade em você? Consegue ver em outras pessoas?
  • Você tem se preocupado mais com a idade ou com a maturidade? Envolva-se com pessoas, cresça e volte a sorrir.

Palavra ministrada pelo Pr. Mario Pacheco Neto em 23/04/2017

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: